quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Ecoar as bem-aventuranças...




Nessa terça-feira (21.02), chegou ao fim mais uma edição do ECOAR.

A tarde de programação teve momentos marcantes.

Começamos com a palestra “Lei de causa e efeito em um mundo de transição”, proferida por Nélio Furtado (GAEEB). De maneira objetiva, o palestrante explicou detalhes contidos em obras espíritas sobre a transição planetária, recuperando, inclusive, fatos históricos que indicam o processo de transformação (como o tsunami no sudeste asiático em 2004).

Herlen Lima, poeta e declamador, ilustrou nosso evento com poemas de Augusto dos Anjos e outros de sua própria autoria. Herlen divulgou sua obra “Poemas e flores” (2010).

Na volta do intervalo, Eurípedes Barbosa (GAEEB) trabalhou em sua exposição o tema “Bem-aventurados os que são brandos e pacíficos”. Para tratar dessa bem-aventurança, contextualizou-a com as demais anunciadas pelo Cristo. Todas elas, sem dúvida, indicam o caminho para a pacificação.  

A palestra interativa de Eurípedes contou com a participação do personagem “Dr. Egoberto D’Orgulho”, vivenciado pelo ator e palestrante Lélis Dourado (GAEEB). Além de proporcionar boas risadas, esse caravaneiro complementou a exposição sobre as bem-aventuranças com a abordagem de “Autodescobrimento: estratégias para a transformação interior.” De maneira breve, conduziu o público para o “ser desperto, ser consciente, ser feliz”, abordando aspectos da consciência e da meditação.

Apesar de alguns problemas técnicos, o vídeo do Recordar (RECOAR) é viver cativou a todos os espectadores. Melchisedeck A. Campos, presidente do GAEEB, comentou as imagens relativas à visita de companheiros do Grupo à cidade mineira de Sacramento, terra natal de Eurípedes Barsanulfo. Dessa mesma excursão, bastante emocionado, destacou o diálogo com Chico Xavier, em Uberaba-MG,  a respeito do patrono espiritual do GAEEB: 

video


A dinâmica de interação preparada pela Comissão Organizadora movimentou os participantes. Mais de 10 estiveram no palco para respoderem a desafios mnemônicos relacionados a fatos do ECOAR 2012. As crianças sorteadas deram um show juntamente com seus pais.

Por fim, a Comissão Organizadora agradeceu a todos os trabalhadores pelo empenho na realização do evento, bem como aos participantes por darem sentido às atividades realizadas. Que possamos em 2013 vivenciar novos momentos de paz espiritual no Carnaval!

A avaliação do ECOAR 2012 pode ser realizada no seguinte formulário eletrônico: https://spreadsheets0.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dHNkcEZmVjFLUkdPR3JpcjExOGNUYWc6MQ

De antemão, agradecemos as sugestões e críticas.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Desvendando a Transição




Essa tarde de segunda-feira (20.02) marcou-se por momentos de estudo e construção coletiva de conhecimento(s).

Para iniciar as reflexões, o grupo teatral Aprendizes de Meimei (GAEEB) apresentou-se com a peça “O espelho do mundo”, em que apontou caminhos para a regeneração de nossas relações espirituais.

O restante do tempo foi ocupado basicamente pelas Oficinas Temáticas.

Dividas em quatro, essas oficinas se dedicaram a alguns dos temas centrais da transição.  

Discutiu-se o papel do centro espírita a partir da metáfora estampada na canção Encontros e despedidas (Milton Nascimento). Exercício esse que não é apenas de interpretação, mas sim de meditação profunda no que tange aos nossos trabalhos nas “células do movimento espírita”.

A preparação moral e afetiva das novas gerações foi um dos problemas enfrentados pelo grupo de trabalho dedicado à evangelização infanto-juvenil.

As setes esferas da Terra conduziu para novos rumos o conhecimento que temos sobre as dimensões espirituais de nosso planeta. Abismo, trevas, crosta terrestre, umbral, arte/cultura/ciência, amor fraterno universal e diretrizes do planeta são as tais esferas. Mas quais as características de cada uma delas? De maneira dinâmica, esse questionamento ganhou resposta, baseada na seguinte bibliografia básica: As sete esferas da terra (Mário Frigéri. FEB) e Cidade no além (Heigorina Cunha, Chico Xavier, André Luiz e Lucius).

A codificação kardequiana se imiscui em todas as perspectivas dessa mudança na categoria planetária . O pentateuco espírita aponta as diretrizes seguras de análise e preparação para esse dias que marcam o novo ciclo terrestre.

Após o intervalo, como prévia da conclusão das oficinas, Alexandre Paredes tratou de entoar algumas melodias sintonizadas com a era do espírito. O músico aproveitou o espaço para divulgar seu CD Ninguém está só. Deixou ainda um convite para o público conhecer seu poema 2012: http://alexandreparedes.blogspot.com/

Já um tanto saudosos, terminamos o penúltimo dia do ECOAR 2012.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

O segundo dia




Esse domingo de ECOAR começou bem diferente.  A peça “O fim do mundo”, encenada pelo casal Norma e Zé Luiz, arrancou boas risadas do público. Ao mesmo tempo, promoveu  reflexão a respeito de provações coletivas enfrentadas pela humanidade nesse momento de transição. Os atores encerraram a participação com a declamação do poema “Tudo passará”, de Emmanuel.

Danilo Prudêncio realizou palestra de “fôlego”, utilizando-se de diferentes recursos de oratória, o que surpreendeu o público.  Por cerca de uma hora, à luz do consolador, explanou sobre o proceso de criação, formação e evolução do planeta até o estágio atual, incluindo, nesse panorama, o progresso da humanidade.

Antes do intervalo, Geralda Saigg fez intervenção artística com enfoque em nossa conduta moral durante o período da festa do Momo.

Em palestra curta, Cícero Prates abordou um dos aspectos intrigantes da transição: a relação entre espírito e matéria.

O Fórum de Discussão versou sobre o tema “Espiritismo e Carnaval”. A atividade trouxe ao púlpito vários debatedores que discutiram sob diferentes perspectivas o assunto central: Jorge Britto (A história do carnaval); Eurípedes Barbosa, Eliomar e Cícero Prates (Dimensão espiritual do carnaval); Raimundo Leandro e Melchisedeck A. Campos (O papel do centro espírita no carnaval). Os dois últimos tópicos foram motivados por situações-problema encenadas em pequenos esquetes por Cristhiane Trindade, Camila de Lélis, Eduardo Sales, Allan Carlos, Juan Pablo, Ivaldino Jr., todos representantes da Mocidades Espírita Raphael Thoms (MERT. GAEEB). 

Para finalizar em clima de paz e harmonia nosso segundo dia de atividades, o Coral Nilo Sheik (GAEEB) apresentou-se em quatro belíssimas canções, entre as quais: Sal da Terra (Beto Guedes/Ronaldo Bastos).

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Trabalhadores de todas as horas



video

Nessa noite de sábado (18.02), Geraldo Campetti fez a palestra de abertura do ECOAR 2012.

Desenvolvendo o tema “Trabalhadores da última e da primeira hora em um mundo de transição”, Campetti manteve constante diálogo e interação com o público.

Entre outras coisas, demonstrou como as obras da codificação kardequiana facilitam a compreensão sobre a nova era.

As palavras de Campetti serviram como um novo chamado para a nossa definitiva e completa reforma íntima.

Como reflexão, acompanhemos a lição de um dos missionários da falange do espírito de Verdade. Não resta dúvida de que ela inspirou também nosso orador da noite:

Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as coisas anunciadas para a transformação da Humanidade. Ditosos serão os que houverem trabalhado no campo do Senhor, com desinteresse e sem outro móvel, senão a caridade! Seus dias de trabalho serão pagos pelo cêntuplo do que tiverem esperado. Ditosos os que hajam dito a seus irmãos:
“Trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontre acabada a obra” [...] (Erasto. O Evangelho Segundo o Espiritismo.  Cap. 20 – Os trabalhadores da última hora.)

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Programação do ECOAR 2012: Música


Não vai faltar música de qualidade no ECOAR 2012!

Em todos os dias, seremos recebidos e harmonizados pelo GRUPO HARMONIA (GAEEB).

video


Coroando o nosso domingo,  19.02, ouviremos as vozes do CORAL NILO SHEIK (GAEEB).

video






Na segunda, 20.02, ALEXANDRE PAREDES marcará presença com sua voz e violão.




terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Programação do ECOAR 2012: Geraldo Campetti


Está se aproximando o ECOAR 2012!

Você está por dentro da programação do evento?

A abertura ocorrerá no sábado, 18.02, das 18h30 às 21h30, com a presença especial de Geraldo Campetti, palestrante e um dos diretores da FEB.

Assista a nosso irmão Geraldo no Programa Transição, de 01 de janeiro de 2012:





sábado, 11 de fevereiro de 2012

A poetisa da Transição


MARIA DOLORES (BA 1900 – 1959)

Lecionou em educandários de Salvador e foi poetisa de versos admiráveis. Na imprensa, escrevia sobre os direitos humanos e o sofrimento dos menos felizes. Organizou o grupo As mensageiras do bem, com o intuito de ajudar aos mais necessitados, doando roupas, remédios, enxovais. Voltou ao mundo espiritual vitimada pela pneumonia. Por meio de Chico Xavier, esse espírito transmitiu vários poemas. (Jornal ECOAR, Suplemento, n. 1, março de 2011)

Maria Dolores escreveu versos sobre o tema do ECOAR 2012. Sintam o poema:

TRANSIÇÃO

O mundo, em múltiplas crises
Por muito apoio arrecade,
É um barco na tempestade
Sob vasta escuridão...
A bordo, somente a fé
Não se alarma e nada teme,
Sabendo Jesus no leme,
Conduzindo a embarcação.

Entre os viajores ansiosos
Surgem cruéis desavenças.
Discutem pessoas tensas
Quanto as rotas por buscar...
Amigos ferem amigos,
Ignoram-se parentes,
Todos parecem doentes
Sem coragem de esperar.

Coriscos – sinistras luzes –
Rasgam a hora sombria,
Ruge, em torno, a ventania,
Fazem-se os homens pigmeus.
Não há quem pense nos outros,
A multidão se atropela,
Clamando por bagatela.
Ninguém pergunta por Deus.

Assim é a Terra de hoje,
Em transição desmedida.
É a vida mudando a vida,
Buscando equilíbrio e paz...
Sofres as farpas da sombra
Em tua própria vivência;
Usa a luz da paciência;
Com essa luz, vencerás.

(Psicografia de Chico Xavier. In: Assembléia de Luz. São Paulo: GEEM, 1988.)

P.S.: Agradecemos ao nosso companheiro e pesquisador Jorge Brito por haver encontrado esta pérola poética. 

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Nascer, viver, morrer, renascer ainda e progredir sempre...


Conhecida como Palingenesia entre os povos da Antiguidade e ora denominada Metensomatose pelos modernos investigadores, a reencarnação significa o retornar do espírito ao corpo tantas vezes quantas se tornem necessárias para o autoburilamento, libertando-se das paixões e adquirindo experiências superiores, sublimando as expressões do instinto ao tempo em que desenvolve a inteligência e penetra nas potencialidades transcendentes da intuição. É o renascimento no corpo físico.
Joanna de Ângelis
A reencarnação é a mais excelente demonstração da Justiça Divina, em relação aos infratores das Leis, na trajetória humana, facultando-lhes a oportunidade de ressarcirem numa os erros cometidos nas existências transatas.
A evolução é impositivo da Lei de Deus, incessante, inquestionável. Nessa Lei não existe o repouso, o letargo das forças, a inércia. Por toda parte e sempre o impositivo da evolução, o imperativo do progresso.
Desde a mais débil expressão anímica que a vida, dormente, sonha e espera, até a angelitude em que fomenta e frui a felicidade e o amor, o progresso se faz imperioso. O estacionamento, a parada, representaria o caos.
Ininterruptamente as conquistas que se acumulam, jazendo, às vezes, embrionárias ou adormentadas, num ciclo carnal, se desenvolvem noutro; ou, quando entorpecidas transitoriamente na investidura somática, se desdobram, valiosas, além da constrição celular.
A reencarnação enseja, mediante processo racional, a depuração do espírito que evolve, contribuindo simultaneamente para o aperfeiçoamento e a sutilidade da própria organização física, nos milênios contínuos da evolução.
Aceita logicamente por uns e anatematizada por outros, dentre os mais eminentes religiosos e pensadores da Humanidade, tem as suas bases assentes nos impositivos da Sabedoria de Nosso Pai que tudo estabeleceu em diretrizes consentâneas com as necessidades da Sua Obra.
Estruturada em princípios igualitários a todos concedidos em circunstâncias equivalentes, estatui como base o amor e esparze a misericórdia, em convites de excelsa probidade, para os náufragos das realizações malogradas, que têm necessidade de recomeço para avançarem na direção do êxito que a todos nos aguarda. [...]
Joanna de Ângelis. Renascer. In:_____. Estudos espíritas. Psicografia de Divaldo Franco.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Atitudes de Evolução


Agradeça a Deus a bênção da vida, pela manhã. Se você não tem o hábito de orar, formule pensamentos de serenidade e otimismo, por alguns momentos, antes de retomar as próprias atividades.
Levante-se com calma.
Se deve acordar alguém, use bondade e gentileza, reconhecendo que gritaria ou brincadeiras de mau gosto não auxiliam em tempo algum.
Guarde para com tudo e para com todos a disposição de cooperar para o bem.
Antes de sair para a execução de suas tarefas, lembre-se de que é preciso abençoar a vida para que a vida nos abençoe.

André Luiz. Sinal Verde. Psicografia de Chico Xavier. Cap. 1 - Ao Levantar-se.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Poema Multimídia: Viajantes da Evolução

video

} Poema "Viajantes da Evolução": Eurípedes Barbosa (GAEEB,1995)
} Voz: Zé Luiz (GAEEB, 2012)
} Imagens: Raul Palmela (Site Nova Era | YouTube)q
} Realização: ECOAR 2012 Terra, um planeta em transição